Para uma amiga que se foi…

Os resquícios da mente prodigiosa de menino traz-me à lembrança o cotidiano da Rua Aurelino Leal, Remanso antigo, mais conhecida como Rua de Cima, onde moravam muitos amigos, inclusive D. Delza Gonçalves. E lembro-me da sua labuta comandando família extensa e jovem, assumindo atividades e negócios familiares por conta da viuvez inesperada.

A curiosidade de menino possibilitou-me acompanhar a labuta da mulher falante e ativa, vereadora municipal, raridade naquela época. Sobreviveu ao Remanso velho e viu o alvorecer da nova cidade. A labuta do recomeço possibilitou olhar o futuro com esperanças. Os filhos cresceram,  constituíram família. Teve a felicidade de cercar-se do carinho de muita gente. O tempo passando, a vida se esvaindo até o dia da partida. E saiu no Facebook vindo de Nildete Unias:

— Gente, acaba de falecer uma pessoa muito querida em Remanso!

                Era D. Delza, a quem o Remanso todo desejou o descanso eterno. Mas, o que é o descanso eterno?

                Respondo citando passagem do meu livro O Purgatório de Eduardo: É a quietude do tempo, o diáfano, o branco, o incolor, a paz espiritual do dever cumprido. É não se envolver com qualquer coisa. O prazer de se sentir leve, flutuando, feliz, realizada. Prazerosamente envolta na penumbra, na clausura branca de quem não deve e nada teme. É o ambiente dos céus, etéreo, bonito, clima adequado ao estado de espírito.  Nem vivo nem morto, mas, feliz eternamente…

            É essa paz celestial, à direita do Pai, que lhe desejo dona Delza. Aos filhos, genros, netos e demais parentes, a confiança e a resignação.

Abraço afetuoso de Astrogildo Miag e Célia

 

 

 

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>